Ir direto para menu de acessibilidade.
Inicio contedo da pgina

Notícias


Divulgação Científica

Brasil registra 168 mil mortes por ano atribuíveis ao excesso de peso e à obesidade


Sexta, 01 Novembro 2019

Brasil registra 168 mil mortes por ano atribuíveis ao excesso de peso e à obesidade (Foto: reprodução Google Imagens)Aproximadamente 168 mil mortes por ano no Brasil são atribuíveis ao excesso de peso e à obesidade – é o que aponta estudo inédito publicado em 17 de outubro pela revista científica Preventing Chronic Disease. O título do Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Atlanta (em inglês, Center for Deasese Control and Prevention – CDC) faz parte do acervo do Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

A investigação estimou a proporção de mortes por doenças não transmissíveis que poderiam ser evitadas com a redução do índice de massa corporal (IMC) da população. “Pessoas com o IMC alto apresentam risco aumentado para diversas patologias crônicas, como doenças cardiovasculares, diabetes, doenças respiratórias e câncer. No Brasil, essas doenças representam 75% de todas as causas de morte atuais”, conta Leandro Rezende, ex-bolsista da CAPES e professor do Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP.

Para estimar o IMC da população brasileira, os autores utilizaram dados da Pesquisa Nacional de Saúde, conduzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2013, mais de 40% da população brasileira já apresentava excesso de peso (IMC 25≥ kg/m2). De acordo com Rezende, foram considerados três diferentes cenários. No primeiro panorama, observou-se que, se a população brasileira adulta tivesse o IMC de 22kg/m2 (ou seja, se não houvesse excesso de peso/obesidade), aproximadamente 168 mil mortes por ano no Brasil seriam evitadas.

“Esse número representa cerca de 25% das mortes pelas principais patologias crônicas (doenças cardiovasculares, respiratórias e câncer) e 15% de todas as mortes ocorridas. A maior parte das mortes evitáveis seria por doenças cardiovasculares (106.307), seguidas por doenças respiratórias (33.471) e câncer (28.653)”, indica o autor.

No segundo cenário, os cientistas levantaram quantas mortes seriam evitadas se o IMC da população fosse o mesmo de 2002/2003. Nesse quadro, constataram que aproximadamente 65 mil mortes seriam evitadas, representando 10% das mortes pelas principais doenças crônicas e 5,8% das mortes por todas as causas. Por fim, o terceiro cenário estimou a redução de uma unidade do IMC (1Kg/m2) na população, o que evitaria cerca de 30 mil mortes, representando 4,6% dos óbitos pelas principais doenças crônicas e 2,7% das mortes por todas as causas.

Para ter acesso aos resultados completos do estudo, os usuários podem acessar o artigo científico Deaths Attributable to High Body Mass in Brazil. A revista científica Preventing Chronic Disease pode ser localizada pelo link buscar periódico, pelo nome ou código ISSN 1545-1151. O título é de acesso aberto, sendo que pode ser consultado por qualquer usuário independente de vínculo com instituições participantes do Portal de Periódicos.

A publicação apresenta um conselho editorial com um grupo diversificado de líderes e especialistas independentes, com experiência em várias áreas de pesquisa, avaliação e prática em saúde pública. Os membros são voluntários e aconselham a revista científica sobre suas políticas, além de identificar tópicos apropriados e oportunos.

O Portal de Periódicos autoriza a reprodução parcial ou total de suas notícias desde que seja citada a fonte: "Portal de Periódicos da CAPES"

Alice Oliveira dos Santos


Notícias relacionadas

  • 25.10.19
  • 00:10
Bolsista da CAPES descobre fóssil de mamífero
A descoberta foi feita ao analisar pegadas primitivas do período cretáceo. O trabalho do cientista Pedro Victor Buck está disponível no acervo do Portal de Periódicos
  • 16.10.19
  • 00:10
Clima afeta sentimentos das pessoas sobre determinadas cores
Segundo um novo estudo, o ser humano está mais propenso a associar amarelo à alegria quando vive em países mais frios e chuvosos. Artigo sobre o tema está disponível na Science
  • 12.08.19
  • 00:08
Artigo apresenta ferramenta de gestão de saneamento sustentável para áreas isoladas
Os resultados do trabalho desenvolvido por pesquisadores do Mato Grosso do Sul foram publicados pelo International Journal of Environmental Research and Public Health
  • 06.08.19
  • 00:08
Poder analgésico do abacaxi é cientificamente comprovado
A bromelina – encontrada no abacaxi – é quimicamente conhecida desde 1875. Recente artigo científico publicado pelo Peptides detalha seus efeitos analgésicos
  • 29.07.19
  • 00:07
Pesquisadora brasileira fala sobre fruto amazônico com propriedades antioxidantes
Estudo sobre o tema foi aceito pela revista científica Food Research International, disponível no acervo do Portal de Periódicos da CAPES
Fim do contedo da pgina